Breve história do Jardim Infantil Pestalozzi

O Jardim-Infantil Pestalozzi foi criado, em 1955, por Lucinda Atalaya. A sua primeira casa situava-se no Bairro de S. Miguel, na rua Frei Amador Arrais, em Lisboa; três anos mais tarde, mudou-se para o atual edifício, na rua Dr. João Soares, antiga rua de Malpique.

Caracterizada por defender e prosseguir uma pedagogia ativa, diferenciou-se das escolas existentes ao tempo, por uma ação pedagógica assente no reconhecimento e no respeito pela individualidade e expressão livre de cada criança.

Em 1958, alargou a sua atividade à escolaridade primária, instituindo, desde sempre, a coeducação, oficialmente proibida na época. Firmou-se como uma escola que privilegiava a vivência das crianças, em contacto direto com o meio ambiente, e ainda a relação com os pais baseada no diálogo e reflexão conjunta sobre as questões do desenvolvimento das crianças, bem como na sua participação em ações educativas.

Procurando situar-se nos caminho da inovação, recolheu a influência do pensamento e da ação democrática em educação. Partilhou ideias com personalidades significativas no panorama educativo do país. Rui Grácio foi a figura mentora da linha pedagógica da escola; Maria Amália Borges, foi a interlocutora nos métodos e práticas de ensino; Agostinho da Silva, foi o mestre modelar para o grande objetivo da Educação – a humanização do Homem.

Pedagogos e historiadores da educação como Rui Grácio, João dos Santos, J. Salvado Sampaio, Rogério Fernandes consideraram esta escola pioneira em inovação pedagógica no nosso país, no seu quase meio século de existência.